sábado, 4 de junho de 2011

Outra vez, e tudo!

Eu me irrito!

Jacqueline Collodo Gomes

Outra vez, e tudo!
Mal passam os minutos
dos teus lábios eu escuto
É: - Não! É: - Não!

Nem consideras a proposta
Parece-lhe outra conversa posta
Em que não confias e nem apostas
É sempre: - Não!

Absurdo!
Eu me irrito com este teu jeito mudo!
Fechado em ti mesmo
Com o raciocínio a esmo
É não pra tudo!

Não tenta nada!
Não pensa um minuto!
Não te vale o que digo?
Isso me irrita profundo!

Tão rígido com o novo
Por que não o consideras?
Pode trazer o que esperas.
Mas, não! Mas, não!

Sempre teu pensamento está certo
Tua visão está direcionada
Mas isto digo, não é incerto
Que está apontada para o nada

Eu me irrito e não só
Mas me magoo também
Porque a sugestão dos fechados te vale
Mas as minhas são como de ninguém.

29/05/01

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por visitar o blog Ah, Poesia! Deixe sua mensagem a respeito do que leu aqui. Volte Sempre! Abraços poéticos.