quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Sou cada pedacinho do verso que nasce

Piadinha Filosófica do dia: "Há duas palavras que abrem muitas portas: Puxe e Empurre."

Rssssssss.

Image from sxc.hu


Sou

- Jacqueline Collodo Gomes

Eu sou tudo o que escrevo
e também um mundo de coisas que ainda não conheço

Sou cada pedacinho do verso que nasce
à mão tingida das cores do trabalho
Sou cada pedacinho que ecoa no meu coração

Sou uma onda agitada buscando o seio dos mares
Sou também a calmaria de portar ao cais

Posso não conhecer esta identidade que me habita
Posso, simplesmente, não caber em mim mesma
E ser tão pequenina que me valha uma mão amiga

Sou também o que me causa incômodos e não me deixa dormir
Sou o que me libera e o que me prende, sou também quem me dá asas quando isto se adequa
E tudo o que ainda vou descobrir

Sou o não compreender as reações orgânicas de mim mesma
E o quanto acho que estou longe de mim, mais estou perto
Mais sou a essência, a natureza que me gera vida.

17/11/2011, 00:57.

---
Boa quinta-feira!
.

2 comentários:

  1. Um belo poema com as duas últimas estrofes de se tirar o chapéu!

    Beijo do ZÉ

    ResponderExcluir
  2. Sabe Jacq, eu entendo o porquê...e cada verso, cada palavra me faz entender mais... acho que nossas almas dão as mãos qndo escrevem poesias, pq sempre me vejo nas tuas linhas... tão lindo o que vc escreveu, tão eu...
    beijo enormeeeeeee, desejo a vc um lindo fim de semana. cheio de luz.

    ResponderExcluir

Agradeço por visitar o blog Ah, Poesia! Deixe sua mensagem a respeito do que leu aqui. Volte Sempre! Abraços poéticos.