sábado, 28 de janeiro de 2012

...que já sorveu da chuva tudo quanto pôde...

Image from sxc.hu


Poemenigma

- Jacqueline Collodo Gomes

Meu desafio é pegar a louça
sem que isto me impeça de vir tomá-la novamente
Estalinho típico de telhado que já sorveu da chuva tudo quanto pôde
Remediando feridas populares, na madrugada
Deixando tudo limpinho para quando o sol chegar

Meu desafio é eliminar dos processos os monstros
Palpar cenas bem elaboradas em minha caixa de sonhos
Vara de condão acendendo luzes
Fazendo de pontinhos minúsculos vagalumes...

... Que cada um pode ser a estrela-cadente de sua própria história.

28/01/2012, 02:54.

---

Ainda no campo de flores...

Um dia estarei no ato do capítulo presente da história que nos escreveste
Na estrofe traçada do agora que distancia o prefácio e o vagar dos personagens

Um dia serei a narração da tua primacia tão bem pensada
Onde, por meus cabelos, a tua pena deslizará,
como tua mão a me alcançar

Quando um ponto por dois fecha as páginas outrora infindas,
e declara nosso conto formado.

---
Boa noite de poesia!

Um comentário:

  1. Lindo, lindo, lindo!!
    Tudo aqui é especial...tons, romantismo, versos!!
    Beijão amiga querida
    Bea

    ResponderExcluir

Agradeço por visitar o blog Ah, Poesia! Deixe sua mensagem a respeito do que leu aqui. Volte Sempre! Abraços poéticos.