quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Quero te ver degustar cada nota dos meus acordes por você

Image from: sxc.hu

Colheradas de Amor

- Jacqueline Collodo Gomes

Quero te preparar o meu arroz
Do jeitinho que só eu sei refogar
E o aroma do meu amor bem temperadinho
É a música da água secando que vai espalhar

Quero te ver degustar cada nota dos meus acordes por você
Posso até fazer um aviãozinho,
afagar-lhe os cabelos com carinho,
tomar o colo que me ofereças,
dar-te meus beijos de sobremesa

Quero te preparar um trivial
e as receitas mais sofisticadas
Depois tomamos um chá ao fim da tarde,
um lanchinho na madrugada...

Quero te sorver em taça de sorvete
por tudo que me destes
São teus e meus estes prazeres
Bom é que se manifestem

Quero cozinhar para você
e recebê-lo como quem recebe após longa espera...
E ver a paz da tarde adornar o nosso cenário
Saber o sabor desta nossa era.

22/02/2012, 22:15.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Todo dia você me faz falta!

Image from: sxc.hu


Anotações

Vou te acordar para perguntar
se pensou em mim enquanto dormias
Sou carente de saber o quanto faço parte das tuas lembranças


Dez, 2011, 28 - 05:38.


Image from: sxc.hu


Todo dia você me faz falta! Como se não vejo árvores
Como se não respiro ar da cidade
Ruptura que tento emendar.
Sou a sede para a tua seiva límpida
Sou a rocha que lhe recebe pra ficar.


18/02/2012, 01:39.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Tentando capturar a lua

Obrigada a todos que têm passado por aqui, comentado e se inscrito. Fiquem à vontade, são bem-vindos.

Este é o registro do dia  (ou melhor, da noite) em que eu e meu sobrinho de sete anos tentamos capturar a lua, rssss.


E para o meu sobrinho:

"Estrela-cadente
que passa de repente,
estenda-me a mão!
Eu quero voar!"


Tá ali! Ali, ali! Tá ali! Tá ali! - meu sobrinho gritava euforicamente apontando para o céu, no banco detrás do carro.

- Ah, agora já foi... - eu disse, num reflexo atrasado, com a filmadora na mão.  E emendando um "Cadê?" acabei por avistar o ponto cheio e claro no céu, bem à minha frente, na janela do lado do meu assento, e brinquei: - A lua tá seguindo a gente. Como ela tá cheia hoje! Grande! Parece que tá tão perto! E o que parecia uma aventura já iniciada, (ao menos aos olhos de criança, ou ao olhar de poesia), ficou ainda melhor com os marcos datados a seguir com tanta alegria e imaginação pelo meu sobrinho.

- Ela tá seguindo eu!

- Seguindo você? 

- É! Por que, à noite, ontem, ela ficou me seguindo!  Se eu corresse, ela corria!

Eu comecei a rir e ele continuou me contando dessas suas brincadeiras com os astros do espaço:

- Até o sol me segue! Eu falo assim: "Ai, sol, não fica na minha cara!" Aonde eu vou, o sol vai e fica na minha cara!

---

Num carro em movimento, com uma câmera que não é lá uma Sony da vida, rsss, aos momentos clicados a lua mandou um pouco de Natal adiantado, rssss. As luzes da rua parecem mais com renas saltando, e dá  até pra ter uma impressão de se ver um par de Papai-Noel andando pela estrada, rsssssss.




Aqui está o que conseguimos guardar da lua, de fato:


Pequena? Só aos olhos de quem vê.


"Estrela-cadente
que encanta a gente,
que caneta você usa
que risca o céu tão diferente?"

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

E se estas memórias te alegram em dias difíceis...

Image from: sxc.hu

Emoldura

Jacqueline Collodo Gomes

Entre os passos e os compassos da vida
Eu ainda não sei quem você é

O que representa em minha história
Se mantém memórias de mim

E se estas memórias te alegram em dias difíceis
te fazem ter bons sonhos, sonhar
te fazem ver o sol quando chove ou há tempestades de neve

Porque dispendeu tempo em me fazer principal da tua atenção
ou se não lhe instiga certa curiosidade em saber
se o meu título descreve o teu lar, a tua morada

Se me procuras quando um carro estaciona
Se me imaginas ali, só por você

Talvez nuvem branda, que logo se dispersa
deixa vestígios de doçura do que foi melhor

Talvez dono das mãos que me tomam quando escrevo...

Talvez...  Só mais um grão depositado ao caminho por qual passei,
e passamos.

Nos passos e compassos da vida aprendemos os planos maiores.


02:05, dia: uma incógnita, rsssss.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Estou sonhando neve que cai em floquinhos objetivos...

Image from: sxc.hu

Insípido

- Jacqueline Collodo Gomes

Estou sonhando neve
que cai em floquinhos objetivos
virando água com os gemidos
de tristeza do coração em que pousam.

Chorem em si as tristezas,
de preferência fora de mim
São estas interferências
que embaçam minhas janelas do amanhã...

Porque me fazem querer chorar
em horas que o relógio não acelera...
Interminável Outono de poetisa
que não conhece estes outros sentimentos almejados...
Paladar refinado pelo teu sabor...

Anjo de neve, cuidados, nosso pudor.

12:50, 11/02/2012.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

E sob um tronco de carvalho fecho um outro dia

Image from: sxc.hu

Rumos

Jacqueline Collodo Gomes

E sob um tronco de carvalho
fecho um outro dia.
Gramas irmãs compartilham a vista
chamam a madrugada
estendem toalha de luzes que atraem o amanhecer.

E consolo-me, a saber,
pela música do vento empurrando nuvens
derrubando tintas no céu
que você sofre a minha falta
tanto quanto eu a sua.

E sob um tronco de carvalho eu te amo
como você me ama aí, sob este tronco de carvalho
esta fôrma tão única.

-

E sob um tronco de carvalho eu lanço os teus detalhes ao céu.
Como você faz com os meus.

10/02/2012, 00:40.

Se eu colocar tudo o que sei em uma caixinha...



Image from: sxc.hu


Pedido de Estrela

Jacqueline Collodo Gomes

Se eu colocar tudo o que sei em uma caixinha
e lhe entregar com a minha senha
você vem pra mim?
Você promete que vem pra mim?

E se eu reunir as cores? Em mãos de flores,
e pedacinhos de brioche?

E se eu pendurar os desejos em chaveiros?
E se eu colocar balinhas no porta-luvas para você encontrar?

E se eu pôr a saia rodada, de que tanto gostas?
Se eu lhe for, como menina, e nisto fizer a minha aposta?
Você vem pra mim?

10/02/2012, 00:40.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

"Quando só tua mão eu queria..."

Momentos românticos de 2007, 2008, 2009... Relembrando e compartilhando.

Image from: sxc.hu


Beijamor 


- Jacqueline Collodo Gomes

Queria ser o teu jardim
por onde tu passeias
em todas as manhãs...

Queria ser esse orvalho
que sorves em tua pele
no frescor do dia...

Queria ser o beija-flor
que alça à janela
de onde dorme o meu amor!

Ah, se eu fosse o beija-flor
que alça à janela
de onde dorme o meu amor!

E ser o teu beija-flor...
Vem ser o meu beija-flor
Beijamor!

Vem ser o meu beija-flor
Pr'eu ser o teu beija-flor
Beijamor.

Acredito que escrevi o verso acima nos primeiros meses de 2008. Com ajustes feitos no dia 18/06/2008. Alterações em 29/01/2009.

---

"Quando só tua mão eu queria..."



Image's from: sxc.hu


Pra não ser mais só


- Jacqueline Collodo Gomes

Tudo que se faz em dois
eu estou fazendo só, San.
Que falta você me faz!

As louças estão lá,
me esperam só.
As músicas e os filmes,
as poesias e as noites frias
me esperam só.

Mas eu só queria só
não fazer mais só
essas coisas que se fazem em dois.

San, que falta você me faz!

Domingo, 26/08/07 - 01:05 A.M.
.

Vivo num monte cortando os vales

Algumas poesias postadas na Casa da Poesia. Dividindo também com os visitantes do blog.


Image from: sxc.hu


Cortando os vales

- Jacqueline Collodo Gomes

Vivo num monte cortando os vales
e de minha janela posso ver os mares
se encontrando em ondas distintas
causando partilha
construindo ilhas.

E as árvores que adornam o cenário
e emolduram o pacífico quadro
dividem a brisa em pinho e aquário
Nasce sol
Sol se põe...

... e o amado depõe os sentimentos mais íntimos
à casinha de onde ela lhe devolve um olhar intrínseco
do mais puro e verdadeiro amor

Vivo entre as folhas rasteiras
produzidas e cuidadas de forma certeira
pela natureza que sabe bem o fazer e o manter

Vivo entre os traços neutros desta tela
onde o céu arrisca tons mais brandos
para preencher todo o espaço em branco
dando ao instante cores mais belas

Vivo... com flores ao parapeito, na entrada
e nos seus cuidados, à sacada
observamos um novo verso repousando
nas dunas formadas do horizonte longo e plano...

... São vozes poéticas vindas do oceano
dividindo suas composições mais singelas.

05:25, 13/11.

---

Image from: sxc.hu


Poeta de beco


- Jacqueline Collodo Gomes

Poeta de beco
da sombra a luz
uma gaita em melancolia
declama seu blues

Não se importa em ser confundido
com gangster ou popstar
Chapéu e sapato, bico fino
ele só quer dançar, dançar e dançar

Toma ao vento um abraço
ginga em movimento, faz seus passos
inclina o chapéu ao casaco
ele só quer dançar, dançar e dançar

E os holofotes da noite
destacam os traços de sua atuação
hora volta à gaita
fechando o ato, reabrindo a sessão

Poeta de beco
feliz por ser assim
verseja aos muros
e de relance revela-se a mim.

10/11/11, 03:30.

---



Image from: sxc.hu

Tempo


- Jacqueline Collodo Gomes

Em galhos irmãos vivem
preguiça e medo
prostrar e seguir
querer, não querer
tudo e nada sentir...

Não julguem-no, pois
qual seja a versão
isto é ser humano
na mais pura imperfeição

Onde tantos vêem conflitos
e angústias e traumas
eu vejo apenas um corpo contido
de si mesmo amigo,
buscando descansar...

...como que nas lembranças do ventre
colo de mãe, ambiente de paz
quisera pousar tranquilamente
e não ter que se preocupar mais.

07/11/2011, 01:20

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Sentamos à uma mesa do café...

"Teus passos certos, nossos momentos definidos"


Image from: sxc.hu

Instantes Eternos

- Jacqueline Collodo Gomes

Sentamos à uma mesa do café
e ficamos. Copos altos,
mãos ao centro, toque de dedos
pensamentos, e todos os meus comportamentos
demonstram como eu me sinto perto de você.

Espero sinais de afeto. Você mais perto.
Um beijo. Eu te amo. Cubro-me de pejos.
E todos os meus lampejos me mostram
a menina dos teus olhos, tua eterna.

E fico buscando os teus olhares.
Pertencer aos teus lugares.
Inundar-me em teus lagares.
Quero tudo em que há você escrito.

Assuntos fluem, e os instantes acontecem.
É meio da tarde, e as árvores
nos trazem um momento agradável
com flashs de sol, flashs de jovem
fazendo lar no coração almejado.

A cada expiração, sorrisos, esboços
expostos, nascidos por mim, gravo
e aguardo, infiltrado, desejo de permanecer
sempre estar, chegar ao lar.
Coisa assim, nossa, que faz o amor acontecer.

01/02/2012, 05:11.