segunda-feira, 19 de março de 2012

É assim: a poesia passa, eu estendo as mãos...

Bom dia. Obrigada a todos por suas visitas e comentários, fico muito contente em vê-los participando com seus comentários e inscrições para acompanhar o blog. Sintam-se à vontade.





Image from: sxc.hu

Poesia Varal

- Jacqueline Collodo Gomes

(This is for you, Atemporal)

É assim:
a poesia passa, eu estendo as mãos
e neste varal vou deslizando até você
Te encontro há minutos de ter descido ao chão
Com um sorriso mútuo, teus acenos a corresponder
Aproximo-me e percebo ter zelado o meu lugar
Isso me alegra. - É tão bom de novo estar!
Puxo a cadeira. O garçom quer os pedidos
um café e um suco, - conectando infindos.
E debruçado em seus papeis, lápis ao dorso
uma questão salta de seus olhos em um gesto de gosto:
- E aí, como você está hoje?

É assim:
o varal da poesia vai deslizando pessoas a destinos de capítulos de livros.
É tão bom que você esteja em tantas partes desta história!
É tão bom que me pergunte como vai minha trajetória!

19/03/2012, 01:35.


"É importante para o grão de trigo se o agricultor se interessar em verificar o seu crescimento".

4 comentários:

  1. Muito lindo o que escreveste. Mulher de reconhecimento e gratidão!

    Gostei muito desta frase e tentarei sei assim sempre!

    Beijoo do ZÉ

    "É importante para o grão de trigo se o agricultor se interessar em verificar o seu crescimento".

    http://nocaminhodasemocoes.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Alguns grãos de trigo são tão delicados
    que é impossível, até mesmo ao agricultor
    mais distraído, esquecer a consideração
    de cuidá-los... Poesia-sol - sorriso =)

    ResponderExcluir

Agradeço por visitar o blog Ah, Poesia! Deixe sua mensagem a respeito do que leu aqui. Volte Sempre! Abraços poéticos.