quinta-feira, 1 de março de 2012

Faça a mágica do confiar no "Tudo bem"


Image from: sxc.hu

Take my hand

- Jacqueline Collodo Gomes

Dê-me a mão.
A vida não me ensinou a vencer os meus fantasmas.
É tarde, a baía está vazia
e eu, menina, assustada.

Dê-me a mão.
Faça a mágica do confiar no "Tudo bem".
Mostra-me o acreditar que não há mal além.
Que mesmo quando a vida é difícil as coisas continuam iguais.

É tarde, e a noite desce, finda o dia
Quero que finde com ele toda esta agonia.
Dê-me a mão. Quero ser feliz com você.

E a dor que consome, a vergonha insossa,
tudo que lhe tensione
desintegre-se, deixe de ser.

29/02/2012, 01:27.

4 comentários:

  1. Este seu poema é dotado de uma beleza peculiar, feito construtivismo em versos rompendo as realidade não ditas ou boicotadas: "É tarde e a noite desce, finda o dia/quero que finde com ele toda esta agonia", versos feito primazia de uma poetisa em pauta com os vocábulos, levarei comigo seu póema para assim por onde passar exalarei teus versos. Mário Bróis.

    ResponderExcluir
  2. Teu espaço de poesia é de encher os olhos e alma, menina poética! Muito prazer conhecer... Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito obrigada! Que bom que gostou tanto! É bem-vinda para voltar e participar quando quiser. Abraço de poesia!

      Excluir

Agradeço por visitar o blog Ah, Poesia! Deixe sua mensagem a respeito do que leu aqui. Volte Sempre! Abraços poéticos.