terça-feira, 13 de março de 2012

Mas a noite chega. E a madrugada é sempre gritante com tudo

Image from: sxc.hu

Partir

- Jacqueline Collodo Gomes

O dia todo a gente tenta arrumar alguma coisa
pra adoçar ao menos um pouco a boca...
Mas a noite chega. E a madrugada é sempre gritante com tudo

Eu desci e vi o seu corpinho estirado
Tão magrinho, meu Deus! Ao relento...
Triste cena. Triste adeus... Dor no peito

E amanhã quando eu for lá fora
e não vir você lá, feliz de me ver
eu vou chorar, como choro agora
só de imaginar que dor tão grande vai ser

Um capítulo do qual já provei
foi difícil entender, como agora, deixar a ficha cair
que as minhas duas alegriazinhas de todos os dias
já não mais adornariam a vista do dia porvir.

02:38, 13/03/2012.

In the love memoriam off my kindly and lovely little birds, Dib and Gui.


It's not gonna be the same... Look outside and not see you... 

2 comentários:

  1. Simplesmente: teu coração é um diamante! Por detrás da Poeta existe a Mulher!

    Beijo de admiração

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Lindo como sempre, sempre um prazer voltar ao seu blog.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir

Agradeço por visitar o blog Ah, Poesia! Deixe sua mensagem a respeito do que leu aqui. Volte Sempre! Abraços poéticos.