segunda-feira, 11 de junho de 2012

Como que por alguma gaveta, perdida...


Image: Céline Mackowiak; sxc.hu


Onde é que eu me coloquei esses dias?

Jacqueline Collodo Gomes

Onde é que eu me coloquei esses dias?
Como que por alguma gaveta, perdida...
Movida, então. Eu não tenho gavetas no quarto.

Assim, talvez eu esteja entre os veios do grafiato
pelos declives sombreados que a tinta não alcança...

Ou, vai ver, eu me guardei na sua gaveta
para estar com você pelo menos em algum momento do dia.

Ou mesmo, somente nas mãos do trabalho. Na profissional.
Na "qualquer coisa que faço" para o público. E tudo.

Mas, bem longe da que toma este assento, hoje.
E da que tenta dizer as coisas que precisa segurar.

Bem longe desta peça desconfortável ditando mapas
medindo terras, vendo serra se inclinar ao mar.

Bem diferente da que já não temia alforria
e já não se rendia ao constrangimento do não merecer.

São retoques em uma velha foto? Partículas da paisagem antiga?
Onde é que eu me coloquei esses dias? E, onde eu estou, na vida?

24/05/2012, 20:30.



2 comentários:

  1. Não importa o quanto minha preferência
    é feito agulha arranhando vinil
    na tua ausência infinita

    ...Meus discos são hits
    momento-solidão que retrocede
    pra me fazer dançar de volta o coração.

    Bruno Gaspari

    Direto do hospício rsrs
    especialmente pra você.

    Abraço

    Lo.Ok:
    Amigo é pra essas coisas =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :)
      Obrigada. Topetinho poético e musical.

      Excluir

Agradeço por visitar o blog Ah, Poesia! Deixe sua mensagem a respeito do que leu aqui. Volte Sempre! Abraços poéticos.