sábado, 13 de outubro de 2012

Eu não levo amores como troféu














Image from: sxc.hu

Feitos

Jacqueline Collodo Gomes

Eu não levo amores como troféu.
Não entalho nomes, não guardo altares.
Passaram-se. Foram-se.
Deixo-os ir.

Espaço tem ao que se há de convir.
Espaço só nosso.
Nada de namorinho pro olhar social.

Gabar-se de gente
é passar pelo meio dos dentes:
trabalhar de fio-dental.

06:26. 13/10/2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por visitar o blog Ah, Poesia! Deixe sua mensagem a respeito do que leu aqui. Volte Sempre! Abraços poéticos.