sábado, 31 de agosto de 2013

Tudo foi diferente este ano

Image from: sxc.hu

Tudo foi diferente este ano

Jacqueline Collodo Gomes 

Tudo foi diferente este ano.
Os fins de noite. O voltar pra casa. O abrir a porta...
Buscas, esforços, abandonos. Luzes que se apagaram. Falta daqueles seus perfumes tão enjoativos, pelo ar!
Eu esperei você voltar.
Sempre detestei celular. Agora eu tenho que usar o celular que você deixou... Eu nem gosto de tocá-lo. Não me desce! Era seu! Não meu!
Eu nunca liguei pra demasiada tecnologia. Sempre preferi as árvores. O lago, a grama. Sempre sonhei com isso!
Eu queria que você tivesse tido tempo de ver as árvores comigo! O lago, a grama, um piquenique. Mãe. As três letras que o céu nunca apaga!
Tudo foi diferente este ano. 
Mãe nunca esquece o número de telefone do filho. De cobri-lo no frio. De cobrá-lo pra ser bom na vida. Mas eu me sinto como se você tivesse esquecido o meu. Esse número, que nem meu mesmo é. Que já era seu antes de eu ter começado a andar.
Todas as coisas guardam um pouco do seu riso. Há momentos em que a sua voz seria a melhor música.
Eu sinto o cheiro da sua mão! Mãe! As três letras que o céu nunca, nunca vai apagar!
...
Tudo foi diferente este ano!

31/08/2013, 01:06.

"Mãe, que falta de você enxugar as minhas lágrimas! Que falta de você chorar comigo! Só quem é mãe sabe chorar a dor do filho!"

"Que o céu te dê memória de mim! Porque eu não quero que se desliguem as nossas memórias!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por visitar o blog Ah, Poesia! Deixe sua mensagem a respeito do que leu aqui. Volte Sempre! Abraços poéticos.