sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

É madrugada onde os joelhos se juntam

Image from: sxc.hu


E, se tudo se apaga...

Jacqueline Collodo Gomes

Segura as bordas do colchão.
E os polegares alisam o lençol que o reveste.
É madrugada onde os joelhos se juntam
e o corpo faz ponte a quem escreve.

O ventilador coloca o clima em movimento.
Faz um barulho baixo, não influi ao lamento.
Tem um coração preocupado com o seu pulsar.
Pensares e enfado, um ardor no calcanhar.

Olha para o desenho que a porta deixa na parede.
As formas são vastas. Contrastam a limitada rede.
Afoito precisar de palmas que lhe guardem as lágrimas!
Todos deveriam tê-las, sem lástimas! E, se tudo se apaga...

...para onde se vai?

28/02/2014, 02:56.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

...conhecer os desenhos antigos, seus personagens e roteiros tão distintos...

Image from: sxc.hu

Perder o sono na época atual

Quando eu era bem pequena, e por alguma razão tinha o sono interrompido durante a madrugada, meus pais me deixavam ligar a TV, com o objetivo de recuperar o sono mais rápido, e assim eu me divertia com reprises de desenhos antigos nos canais populares e abertos. Era sempre uma surpresa agradável, conhecer os desenhos antigos, seus personagens e roteiros tão distintos, que um dia alegraram as crianças das gerações passadas; minutos coloridos e harmoniosos, antes de pegar no sono de novo!
Hoje em dia, quando perdemos o sono durante a madrugada, ligar a TV é triste e lamentável. Só encontramos no ar programas de igrejas, e telejornais, já explorando matérias violentas... Nem de madrugada temos mais um escapezinho sequer do estresse, do caos, da decadência social! Nem mais na madrugada um espaço pra respirar!
E esses donos de emissora... Acham mesmo que tem gente querendo absorver toda essa agitação logo cedo, para escalar esse tipo de programa para este horário, antes até do nascer do sol? Não vieram eles também de uma época onde se reprisava nas madrugadas os desenhos dos tempos de criança de seus pais, os filmes divertidos e badalados dos anos 70, 80? Sinceramente! Não deixam nem mais esse pequeno intervalo em paz, com uma programação alternativa, mais leve, mais acolhedora!
Que saudades do tempo onde havia menos exploração, e mais carinho com o público!

Jacqueline Collodo Gomes. Campinas/SP, 13/02/2014, 06:45.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

...encontro teus ares...

Image from: sxc.hu


Se as lágrimas impelem a felicidade

Jacqueline Collodo Gomes

Se as lágrimas impelem a felicidade,
grande amigo de alma,
de flor, e de calma,
destoando a estima,
a resigna, de se caminhar,
encontro teus ares,
e já não há tão altos lagares,
os sorrisos preenchem os lugares,
e é imensa a vontade de ver o mar!

(Seu olhar me faz ter vontade de ver o mar de novo!)

05/02/2014, 01:59.