quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

eu não sei se é voz, ou abrigo...

Image from: sxc.hu


Se é voz, ou abrigo

Jacqueline Collodo Gomes

Ando cambaleante nos sentidos,
eu não sei se é voz, ou abrigo,
não sei se é a fome, ou o perigo,
a fraqueza da vida difícil,
ou, a fraqueza do pão.

Serão as franquezas dos tempos,
talvez!
Todo o resto do mundo,
em sua altivez.
Será coisa do espírito?
É o espírito que treme?
A água a abarcar
uma lírica sombra tênue?

Ando frágil ao senti-los,
orifícios de vidro,
rasos pálidos resistentes!
Produto da areia em corte veemente.

04:50, 30/11/14.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por visitar o blog Ah, Poesia! Deixe sua mensagem a respeito do que leu aqui. Volte Sempre! Abraços poéticos.